Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Terça-feira, 22 de Março de 2011

Bridgestone

A Bridgestone é a maior fabricante mundial de pneus.

Em 1925 Shojiro Ishibashi com o seu espírito empreendedor começou por apostar no calçado de borracha e mais tarde com o ritmo de industrialização existente no Japão viria a fabricar pneus, o primeiro foi em 1930. No ano de 1931 Ishibashi viria a fundar, na cidade de Kurume, a Bridgestone.

O nome Bridgestone deriva do nome do fundador, uma vez que Ishibashi traduzido para inglês significa ponte de pedra (stone brige) e como Shojiro tinha como perspectiva a internacionalização, foi este o nome que atribuiu à sua empresa.

A Bridgestone inicialmente começou por produzir diversos produtos para além dos pneus, como correias, mangueiras, componentes de isolamento, borracha sintética e até bolas de golfe. Ainda nos dias de hoje a Bridgestone é uma marca reconhecida no mundo do golfe.

Em 1937 a empresa mudou a sua sede para Tóquio e alterou a sua designação para Nippon Tire Co, Ltd.

Durante a Segunda Guerra Mundial a empresa foi utilizada para satisfazer a necessária procura militar.

Após a Guerra, no final da década de 40, a empresa começou a fabricar motociclos e na década de 1950 a empresa voltaria a ser designada por Bridgestone, numa altura em que construiu uma nova sede no centro de Tóquio e abriu também a sua primeira filial de distribuição de pneus. As vendas da empresa atingiam, por esta altura, cerca de 10 mil milhões de ienes tornando a Bridgestone na maior fabricante de pneus do Japão.

No início da década de 1960 a Bridgestone começou a apostar em novas inovações tecnológicas e desenvolveu os primeiros pneus radiais de aço japoneses, para veículos pesados em 1962 e para ligeiros dois anos depois. Em 1965 a empresa inaugurou a sua primeira unidade no estrangeiro, a fábrica da Malásia. Nesta altura a empresa abre a sua filial nos Estados Unidos.

É desde o final da década de 1960 que a empresa patrocina o torneio americano de golfe Bridgestone Open, que faz parte do PGA Tour.

Na década de 1970 a empresa abre o seu escritório europeu, começou também a comercializar jantes de alumínio para veículos ligeiros e continuou a apostar na inovação, mesmo para questões ambientais, desenvolvendo uma tecnologia para converter pneus usados em combustível suplementar para fornos de cimento. Em 1976, com a empresa já em grande expansão, falece o fundador Shojiro Ishibashi.

Nos anos 80, a década da comemoração do seu 50.º aniversário, a empresa deu o passo mais importante rumo à liderança global com a aquisição da empresa americana Firestone Tire & Rubber Company, que na altura estava em segundo lugar nas vendas no mercado norte-americano, através de um negócio que ascendeu aos 2,6 mil milhões de dólares, tornando a Bridgestone numa empresa verdadeiramente global.

Ainda nesta década a empresa continuou a apostar em avanços tecnologico no desenvolvimento e desenho dos pneus e em 1982 concebeu o primeiro pneu de neve sem pregos. Desenvolveu ainda novas teorias para facilitar o controlo, tanto de rolamento como de tensão dos pneus.

Já na década de 1990 a Bridgestone e a Firestone deram origem a uma organização única nos EUA, adoptando a designação de Bridgestone/Firestone, Inc. e na Europa passou a existir a Bridgestone/Firestone Europe, também designada por BFE, que desempenhou um papel de coordenação e centralização até 1994, assumindo as responsabilidade de toda a actividade comercial e distribuição. Em 1998 a BFE mudou as instalações de Bruxelas para Zaventem, empregando cerca de 150 pessoas de 16 nacionalidade na Europa.

Em 1997 a Bridgestone entrou para a Fórmula 1 e os modelos equipados com pneus da marca conseguiram quatro pódios nesse ano. Na temporada seguinte, Mika Hakkinen ao volante de um McLaren Mercedes equipado com pneus Bridgestone viria a sagrar-se campeão dando à empresa o seu primeiro título mundial de construtores. Em 2002, Michael Schumacher e a Ferrari deram à Bridgestone o seu quinto título consecutivo.

Actualmente, a empresa está sediada em Kyobashi, perto de Tóquio e tem 57 fábricas de pneus, 98 fábricas de produtos derivados e 4 centros de investigação e desenvolvimento em todo o mundo, empregando cerca de 150 mil colaboradores.

Como comemoração do 80.º aniversário da marca, a Bridgestone apresentou uma nova imagem e um novo logótipo. 

Publicado por Rebrand às 12:32
permalink
Quinta-feira, 23 de Dezembro de 2010

Finnair

A Finnair é uma companhia aérea fundada a 1 de Novembro de 1923 e que actualmente lidera o mercado finlandês, tanto nos voos domésticos como nos voos internacionais.

Esta companhia finlandesa, uma das mais antigas do mundo, tem como base o Aeroporto de Helsínquia-Vantaa, está integrada na aliança Oneworld, emprega cerca de oito mil colaboradores e transportou no ano anterior perto de oito milhões de passageiros.

No início a companhia era designada por Aero O/Y, nome que resulta de Aero Yhtiö (que em português significa companhia aérea).

Um dos principais fundadores, Bruno Lucander, trabalhou durante algum tempo numa companhia aérea na Estónia, onde coordenava as operações aéreas entre aquele país e a Finlândia. Juntamente com Gustaf Snellman e Fritiof Âhaman, Bruno Lucander fundou a companhia, na altura com 500 mil marcos finlandeses.

O primeiro avião que a companhia adquiriu foi um Junkers F13, adquirido à fábrica alemã Junkers, em 1923. Este avião dispunha de um único motor, uma cabine e apenas quatro lugares de passageiros, necessitando de apenas um piloto e um mecânico como tripulação. Neste primeiro ano a base da companhia era em Katajanokka e era Lucander quem geria a companhia. Neste ano, o primeiro, foram transportados 269 passageiros. Em 1924 começaram a realizar voos para Estocolmo em colaboração com a companhia sueca ABA. O primeiro piloto finlandês foi contratado neste ano, Gunnar Lihr, altura em que a companhia já empregava sete pessoas. No ano de 1926 através de um empréstimo estatal a companhia conseguiu adquirir um novo avião, um Junkers G24, com capacidade para nove passageiros.

Bruno Lucander faleceu em 1929 de morte súbita e foi sucedido por Gunnar Stahle, que após algum tempo adquiriu a fábrica Junkers.

No final dos anos 30 a Segunda Guerra Mundial interrompeu o crescimento da companhia com diversas encomendas a ficarem suspensas, tal como o cancelamento de diversos destinos para que a companhia voava. Outra das consequências da Guerra foi o cancelamento do Jogos Olímpicos de 1940 que eram para decorrer em Helsínquia e nos quais a companhia se preparava para um grande crescimento no número de passageiros.

A década de 40 que começou com a Guerra ainda a decorrer e com os aeroportos civis a serem controlados por militares, levaram a companhia para uma nova era. Após a Guerra o governo finlandês adquiriu a maioria da companhia e passou a chamar-se Finnair Air Lines. Em 1949 a empresa passou a ser membro da IATA (International Air Transport Association) e foi-lhe atribuído o código AY (devido ao seu nome original), que ainda hoje é utilizado pela Finnair.

No ano de 1952, Helsínquia recebeu finalmente os Jogos Olímpicos e foi um dos melhores anos da companhia, pois pela primeira vez transportou mais de cem mil passageiros. Nesta altura a companhia tinha dinheiro e investiu num melhoramento da frota. Nos anos 60 a companhia alargou os seus destinos europeus e passou a ter ligação desde Helsínquia para cidades como Amesterdão, Copenhaga, Hamburgo ou Zurique. Em 1968 a companhia passou a designar-se oficialmente por Finnair. As rotas para Copenhaga e Amesterdão foram fundamentais em 1969, data em que a companhia começou a realizar voos transatlânticos para Nova Iorque, nos Estados Unidos. No início dos anos 70, foram inaugurados novos destinos, nomeadamente para Lisboa em 1971, Berlim e Varsóvia em 1973 e no final da década e início dos anos 80 já contava com destinos do Médio Oriente, como Bagdade, Amaan e Cairo e novos destinos na América do Norte, como Los Angeles e Seattle. Foi também, já na década de 80, que foram inaugurados os voos para Tóquio e ainda Beijing, em 1988. É nesta altura que os aviões da Finnair passam a ter o azul como imagem de marca.

Na década de 90 a Finnair chegou aos 100 milhões de passageiros e inaugurou novos destinos e uma nova imagem. Nesta década ocorreram mudanças significativas, tais como o Acordo de Schengen que permite uma livre circulação de pessoas e bens na União Europeia. Em 1997, a companhia tornou-se membro da Oneworld, uma aliança da qual fazem parte grandes companhias como a British Airways, American Airlines, Canadian Airlines, Cathay Pacific, Ibéria e Qantas, que em conjunto têm mais de 230 aeroportos e transportam cerca de 650 milhões de passageiros.

No novo milénio existiram mudanças radicais, tanto no que respeita às condições de segurança devido ao 11 de Setembro de 2001, como no que diz respeito ao negócio, com a forte entrada para o mercado de diversas companhias low cost, vieram ajudar a redefinir estratégias. Neste contexto, a Finnair tem emergido como uma das maiores companhias que realizam o serviço entre a Europa e a Ásia, optando pela diferenciação, a aposta da companhia foi em voos de longo curso. Actualmente os destinos intercontinentais da Finnair incluem cidades como Seoul (Coreia do Sul), Deli (Índia), Beijing e Shangai (China), Tóquio, Osaka e Nagóia (Japão), Banguecoque (Tailândia) e Hong Kong. A partir do próximo mês de Maio vai começar a realizar voos também para Singapura. Para além destes destinos asiáticos, a Finnair tem cerca de 60 destinos para a Europa, que incluem cidades como Amesterdão, Barcelona, Bruxelas, Genebra, Istanbul, Copenhaga, Kiev, Lisboa, Londres, Madrid, Manchester, Milão, Moscovo, Munique, Paris, Praga, Roma, Estocolmo, Varsóvia, Viena, Zurique, entre outras. Existem também mais de 60 destinos internacionais que variam com a época do ano, desde o Mediterrâneo, Ilhas Canários, Sudeste Asiático, Caraíbas ou Brasil.

A Finnair disponibiliza ainda voos domésticos para 12 cidades (Helsínquia, Ivalo, Joensuu, Jyväskyla, Kajaani, Kittilä, Kokkola/Pietarsaari, Kuopio, Oulu, Rovaniemi e Vaasa).

A frota da Finnair é composta por 64 aeronaves, 53 de passageiros e 11 de carga, nomeadamente doze Airbus 320, onze Airbus 319, oito Airbus 330, seis Airbus A340, seis Airbus A321, quatro Boeing 757, dez Embraer E190, seis Embraer 170 e um McDonnell Douglas MD11F.

A Finnair dispõe ainda serviços exclusivos para os seus passageiros, como o programa de passageiro frequente "Finnair Plus" ou os "Finnair Lounges" que disponibiliza no Aeroporto de Helsínquia-Vantaa e no de Estocolmo-Arlanda. Para além disso disponibiliza também, durante o voo, desde 1980 a revista "Blue Wing" que tem dez edições por ano.

Para Portugal a Finnair voa desde 1971, existiu um período em que interrompeu as ligações, mas desde 2007 que faz de novo a ligação entre Helsínquia e Lisboa três vezes por semana, acrescentando também ligações semanais de Helsínquia a Faro e à Madeira.

Quanto à nova imagem da Finnair, vai começar a ser aplicada já no início de 2011 em todas as aeronaves e espera-se que o processo esteja concluído no final de 2013. O novo design não se fica apenas pelo exterior, também os interiores vão ser totalemente renovados, assim como todo o fardamento dos colaboradores.

Publicado por Rebrand às 15:52
permalink
Terça-feira, 6 de Outubro de 2009

Hertz

Nova Imagem Hertz

A Hertz é uma empresa de aluguer de automóveis, fundada em 1918 por Walter Jacobs na cidade de Chicago (EUA). Nessa altura, Walter, começou apenas com uma dúzia de modelos T da Ford. Em 1923, Walter vendeu o negócio a John D. Hertz, presidente da 'Yellow Cab Company', uma empresa de táxis, renomeando a empresa como "Hertz Drive-Ur-Self-System" (ou seja, Hertz: sistema conduza você mesmo). A partir daí, a empresa passou por inúmeras mãos, incluindo a General Motors, United Airlines, etc. Foi então que a Ford Motor Company a adquiriu, no ano de 1994 mantendo-a até que um grupo privado (Doubilier & Rice, The Carlyle Group e Merryl Lynch Global) fez uma oferta de mais de cinco mil milhões de dólares para comprar a empresa, aquisição que se completou em Dezembro de 2005.

A Hertz foi, ainda, pioneira no sistema de navegação por satélite nos automóveis, devido à introdução do dispositivo Hertz Neverlost. Este dispositivo, foi o precursor do GPS actual, pois dispunha de um ecrã LCD e de indicações por voz, tanto dos nomes das ruas, como do intinerário que levava ao destino seleccionado.

Actualmente, esta empresa, também conhecida como 'Hertz Rent-a-Car', é a maior empresa de aluguer automóvel do mundo, dispondo de cerca de 8 mil agências (das quais três mil e quinhentas são nos Estados Unidos), estando presente em quase 150 países.

Publicado por Rebrand às 11:17
permalink
Quarta-feira, 3 de Junho de 2009

SATA

Nova Imagem Sata

O Grupo SATA (Serviço Aéreo de Transporte do Atlântico) é uma companhia aérea portuguesa que actualmente está sediada em Ponta Delgada, nos Açores. O Grupo é constituído por diversas empresas, tais como a SATA Air Açores, SATA Internacional, Azores Express, SATA Express, SATA Aeródromos, SATA Serviços e SATA Handling.

Esta empresa que actua sobre o lema "Trazer cada dia, o mundo aos Açores e levar os Açores ao resto do Mundo", tem uma história com mais de sessenta anos de voos sobre o Atlântico, renovou a sua imagem, com os olhos postos no futuro.

Em 1941 foi constituída a "Sociedade Açoreana de Estudos Aéreos", que tinha como objecto, o estudo das possibilidades de ligação por via aérea entre as ilhas adjacentes entre si

e entre qualquer delas e Lisboa, assim como tentarobter a concessão da respectiva exploração por parte do Governo português.

Os voos foram inaugurados a 15 de Junho 1947, já sob o nome de SATA e já com a concessão de exploração aérea concedida pelo Governo português, o que levou a que  o objecto da sociedade passasse a ser a exploração do tráfego aéreo de passageiros, carga e correio entre as ilhas, na altura apenas São Miguel, Santa Maria e Terceira, pois as restantes ainda não tinham aeroporto.

No ano de 1952, a SATA iniciou a actividade de 'handling' (prestar assistência a terceiros) no aeroporto de Santa Maria. Em 1977, a SATA atingiu um milhão de passageiros. Em 1990, esta companhia aderiu à IATA (International Air Transport Association) e à ERA (European Regional Airlines Association).

Em 1998, foi constituída a Sata Internacional que obteve o Certificado de Operador Aéreo segundo a exigência dos Regulamentos da União Europeia. O Grupo SATA, actualmente emprega mais de 1200 trabalhadores e a sua frota é constituída por 13 aeronaves, distribuídos da seguinte forma, a SATA Internacional conta com quatro Airbus A310-300 e três Airbus A320-200, enquanto que a SATA Air Açores dispõe de cinco BAe-ATP e, ainda, um Dornier 228 (para ligações de curta distância). 

Quanto à nova imagem, segundo a empresa, consiste num desenvolvimento conceptual evolutivo da marca, capaz de fazer face aos múltiplos desafios comerciais que se adivinham,  contudo, sem perder as referências iconográficas à raíz identitária da Sata e dos Açores. De notar, o novo símbolo que se destaca na nova imagem, trata-se da "BIA", ou seja, Blue Islands Açor, que representa as nove ilhas que compõem o arquipélago.

Publicado por Rebrand às 09:57
permalink
Quarta-feira, 27 de Maio de 2009

Spanair

Nova Imagem Spanair

A Spanair é uma companhia aérea espanhola, fundada em Dezembro de 1986, com o seu principal centro de operações no Aeroporto Internacional de Barajas, em Madrid.

Esta companhia começou a realizar diversos voos 'charters' internacionais em 1988, para mais de 100 aeroportos de toda a Europa, tendo transportado, desde então, mais de 100 milhões de passageiros.

Em Fevereiro de 1994, a Spanair começou a operar voos regulares nacionais, estabelecendo também serviços em terra. Actualmente, quase 90% dos voos desta companhia são regulares e apenas cerca de 10% são voos 'charters'.

No ano de 1997, a Spanair começou a realizar voos regulares para mercados intercontinentais, com a inauguração da rota Madrid-Washington-Dulles, ao que se seguiram destinos como São Paulo, Rio de Janeiro, Buenos Aires e Havana.

Em Março de 2002 a empresa entro para o Grupo SAS, vindo a converter-se em membro da Star Alliance em 2003, naquela que é a maior e com mais prestígio aliança do mundo.

Para aumentar a flexibilidade dos seus serviços, a Spanair criou, em 2008, o Spanairx4, que oferece voos em quatro classes: 'Business', 'Avant', 'Economy +' e 'Economy'.

Em Janeiro deste ano, a IEASA adquiriu cerca de 80,1% da empresa e o Grupo SAS, passou a ser o parceiro industrial, ficando com os restantes 19,9%.

Em relação à mudança de imagem, nesta participaram também os clientes da empresa, que puderam votar através do 'site' da companhia na imagem que gostariam que fosse a nova imagem da Spanair.

A nova imagem, é apresentada pelos seus criadores como algo que representa uma companhia global, sendo a síntese do mundo através do circulo a laranja, que é atravessado por um avião, ilustrando a simplicidade, eficácia e solidez da nova Spanair.

Publicado por Rebrand às 09:47
permalink

O Alfabeto Português!

Todas as letras e todas as regras do alfabeto da língua portuguesa!
alfabeto.pt/o-alfabeto-portugues.html
Rebrand de A a Z: A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
Rebrand © 2013
Acompanhar no Facebook
Seguir no Twitter
Subscrever RSS
TRANSLATE:

MAIS RECENTES

Bridgestone

Finnair

Hertz

SATA

Spanair

Air France

CATEGORIAS

Automóveis Internet
Comércio e Retalho Moda
Comida e Bebidas Novas tecnologias
Desporto Org. Internacionais
Educação Saúde e Bem-estar
Entretenimento Serviços Financeiros
Grande Consumo TV e Comunicação
Identidade Corporativa Viagens e Turismo

ARQUIVO

2012: 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12
2011: 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12
2010: 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12
2009 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12